Pele Negra Máscaras Brancas

124

Com licença os mais velhos, com licença aos mais novos.

O Livro Pele Negra Máscaras Brancas escrito por Frantz Fanon, psiquiatra e filósofo da Martinica,  pequena ilha do Caribe constitui um tratado de combate e compreensão do que é o racismo e como ele opera na sociedade, principalmente nos países colonizados como o Brasil. Fanon faleceu em 1961 e integrou diversos movimentos revolucionários dentre eles o de libertação da Argélia.

Mesmo tardiamente Fanon vem ganhando atenção no Brasil, seu pensamento estava restrito aos cânones das Universidades, e mesmo assim, sob uma certa desconfiança. Através dos inúmeros movimentos sociais e populares, a difusão de suas idéias ganharam campo e força. Seu conjunto de reflexões tem contribuído para a formação de grupos e coletivos de pessoas das mais variadas bandeiras no campo do movimento social sobretudo, o movimento negro.

Tomei conhecimento de Fanon e seus pensamentos através das aulas da professora do curso de pós graduação da Faculdade de Educação da Unicamp e capoeirista, Norma Trindade. Foi uma revelação impactante na minha vida.

Um horizonte de perspectivas se abriu, varias respostas particulares foram respondidas, mais do que isso, reflexões ainda provocadas se converteram numa espécie de causa, e desde então atribuí tarefas e projetos sob as nuvens da decolonialidade. Libertador.

Para compreender basicamente quais conceitos e princípios que movem o pensamento de Peles Negras Máscaras Brancas compartilho algumas considerações que ficaram sob a superfície e o convite curioso de cada um.

De acordo com Luis Antonio Simas, um dos intérpretes mais brilhantes de Fanon no Brasil, o Racismo se estrutura em três dimensões.

A primeira ataca de forma cruel e hedionda a cor da pele, nesse caso a violência fisica muito conhecida por todos nós, quiçá o assassinato de João Alberto. A segunda é aquela que opera no campo do simbólico e se caracteriza com a desqualificação e depreciação da cultura negra, numa tentativa regular de inferiorizá-la. E por ultimo, igualmente hediondo é aquela que convence a vítima de que sua cultura é realmente inferior, e tudo o que se produziu de conhecimento é ruim, destituído de sofisticação, valores e significados.

Essas são as dimensões, tenho certeza que é possível reconhecê-las facilmente no dia a dia, na rua, no trabalho, na escola e até em casa, acredite.

Para saber mais, entre em contato, o livro se chama Pele Negra Máscaras Brancas.

Saravá meus camaradas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui